Tulsi Gabbard foi o único democrata a votar 'presente' durante a votação de impeachment

O candidato presidencial democrata de 2020, que tem atraído escrutínio por se aproximar da direita, se recusou a dar um voto definitivo sobre o impeachment de Trump.

Tulsi Gabbard foi o único democrata a votar

A Câmara dos Representantes dos EUA decidiu na quarta-feira à noite impeachment do presidente Donald Trump pelos dois artigos movidos contra ele.

Dois democratas votaram contra o primeiro artigo - abuso de poder - a saber, o deputado Jefferson Van Drew de Nova Jersey, que está prestes a ingressar no Partido Republicano nos próximos dias, e Collin Peterson de Minnesota.

Esses dois, junto com o deputado Jared Golden do Maine, votaram contra o impeachment de Trump por obstrução do Congresso, embora Golden tenha votado pelo impeachment do presidente por abuso de poder.

No entanto, houve mais um voto do lado dos democratas que levantou as sobrancelhas, e foi o voto do candidato presidencial democrata de 2020, Tulsi Gabbard, que votou presente em ambos os artigos. Ela foi o único membro do Congresso a fazê-lo.

Depois de fazer minha diligência na revisão do relatório de impeachment de 658 páginas, cheguei à conclusão de que não poderia, em sã consciência, votar sim ou não, disse Gabbard após dar seu voto, de acordo com NBC News .

Ela insistiu que, embora pensasse que o presidente é culpado de delito, ela não poderia, em sã consciência, votar em seu impeachment porque a remoção de um presidente em exercício não deve ser o culminar de um processo partidário, alimentado por animosidades tribais que tanto dividiu nosso país. Carregando o jogador...

E embora esse possa ser o seu raciocínio, é seguro dizer que Gabbard mais uma vez atraiu o escrutínio, tendo sido criticado no passado por se aproximar da direita.

Durante o quinto turno dos debates presidenciais democratas de 2020, a então candidata senadora Kamala Harris criticou Gabbard por ela Notícias da raposa aparências, bem como suas críticas ao partido democrata.

Acho uma pena que tenhamos alguém neste palco que está tentando ser o candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, que durante o governo Obama passou quatro anos em tempo integral no Notícias da raposa criticando o presidente Obama, disse Harris na época, durante o debate de novembro. Que passou tempo integral criticando as pessoas neste palco e é filiado ao Partido Democrata e que quando Donald Trump foi eleito, nem mesmo empossado, se juntou a Steve Bannon para conseguir um encontro com Donald Trump na Torre Trump.

E quem poderia esquecer em outubro, quando a ex-candidata democrata à presidência, Hillary Clinton, sugeriu que os republicanos estavam preparando Gabbard para uma disputa por um terceiro partido, observando que Gabbard é o favorito dos russos.

Não demorou muito para que as questões de mídia social fossem questionadas sobre o voto de Gabbard, rapidamente fazendo com que o legislador virasse uma tendência no Twitter.